caixa de pandora Avatar

13 Notes

Em saudade não cabe regra.
Monica March

18 Notes

[o facebook e o que ele não conta pra você]

Eu sempre fui uma fã das redes sociais. Elas trouxeram mais rapidez e democracia no compartilhamento de informações. Transformaram os usuários em peças fundamentais em diversos processos políticos/sociais e estão mudando a maneira de fazer história.

Mas também tenho um pouco de medo do monstro que está escondido embaixo das cobertas e que a maioria das pessoas parece ignorar completamente. Em meio a um turbilhão de postagens inocentes e que parecem não ter qualquer importância para outras pessoas, os usuários de redes como o Facebook não percebem que estão, pouco a pouco, deixando seus perfis traçados para empresas que podem fazer o que quiserem com as informações que coletam.

O Facebook, por exemplo, cruza todos os dados de páginas que você gostou ou posts que você curtiu. Ah, você já sabia disso. Ok. Mas talvez você não saiba que a maior rede social do mundo coleta não só que você publica no seu perfil, mas também o que você não publica. Exatamente. Sabe todos aqueles posts que você escreveu e, por qualquer motivo, apagou e esqueceu que existiam. Então. O Facebook não esqueceu. Nenhum deles. E isso vale para comentários também.

Tudo isso junto e misturado e estamos entregando aos cientistas da computação um prato cheio de dados que talvez possam ser usados de formas que não gostaríamos no futuro. Mas não estamos prestando atenção, porque estamos apenas nos divertindo, não estamos?

Ao que parece pode ser uma diversão bastante perigosa. Para entender um pouco melhor, vale assistir ao vídeo do TED que coloco aqui no post.

Teste psicológico sem autorização

Algumas semanas atrás, o mesmo Facebook enfrentou problemas relacionados à violação de privacidade ao conduzir uma pesquisa sem o conhecimento e autorização dos usuários. Por meio da manipulação no fluxo de publicações no feed de posts - fotos, vídeos, links publicados por amigos e vistos na home da rede social - eles descobriram que quanto mais mensagens negativas eram recebidas pelos usuários, mais negativas ficavam suas próprias postagens - o que pode ser usado como ferramenta de influencia política.

Mais complicado é saber que a rede realmente controla o que iremos ver em nossos feeds, selecionando as mensagens que considera importantes. O correto seria publicar todos os posts e deixar ao usuário a escolha do que continuar vendo ou não.

É por essas e outras que estou cada dia mais longe desta rede social. Parece que nunca estive mais certa. Uma pena.

12 Notes

vai de pés descalços
encontrar seu destino, menino.
vai de pés descalços
porque não há atalho
pra quem decidiu
desbravar o mato.
©monicamarch

20 Notes

Não é verdade que se há de cerrar os olhos para sentir o amor.
O amor nos pega é de olhos abertos.
Monica March

2 Notes

[táxi pra todos aqueles que precisam]

São Paulo é uma cidade grande e complicada. Muita gente, pouco transporte público. Pra quem não tem carro, como eu, conseguir um táxi em horários de pico ou quando chove é um verdadeiro desafio: os pontos ficam vazios e as centrais telefônicas nos tratam como se fossemos nós a fazer um favor quando ligamos pra pedir um carro.

Bom, meus amigos, nossos problemas acabaram. Não tenho ideia de quem foi o gênio que criou um aplicativo para celular que cadastra taxistas (sim, eles precisam levar documentos até uma central na cidade onde o serviço é prestado, o que garante a segurança de quem chama o táxi) e os coloca em contato com todos aqueles que se encontram próximos. O aplicativo é o 99taxis e o download é grátis.

Outra funcionalidade legal é que a pessoa que chama o táxi acompanha pelo celular onde o motorista que aceitou o chamado está, por meio de um mapa na tela, dando uma ideia bastante aproximada do tempo que levará para o veículo chegar.

Já usei algumas vezes e a rapidez é alucinante. Nunca mais você irá pensar em usar serviços de centrais telefônicas.

A aprovação não foi somente dos clientes. Conversei com os motoristas dos táxis que me atenderam e todos, sem exceção, aprovaram os apps que viabilizam o contato direto com o cliente (existem outros, mas ainda não testei, quando o fizer volto pra atualizar o post). Eles me contaram que o número de corridas chega a dobrar aos finais de semana por conta do uso do aplicativo, nos dias normais o aumento foi de mais de 40%.

As únicas ressalvas são: 1) quando o lugar não está cadastrado certinho no GPS do app. Mas como o celular do motorista vem junto com a ficha, é possível entrar em contato e explicar exatamente onde se está. Aconteceu comigo quando chamei um táxi no CEAGESP, pois os portões (são vários) não estão cadastrados; 2) se o seu 3G não for dos melhores você precisa estar em algum lugar com wi-fi ou o app não funciona tão bem.

Adoro quando algo ajuda o mundo a ficar mais democrático, a funcionar melhor pra todos. E você, já usou?

image

image

image

image

::::::::

Leia também:

50 Notes

9 Notes

[sombras]

image

Todo mundo tem. Elas normalmente não nos apavoram, mas estão sempre ali, caminhando ao nosso lado. As sombras.

Em alguns momentos de nossa vida, parece que vão tomar o controle e se transformam em monstros que habitam nossos cantos mais secretos. Acendemos as luzes esperançosos de que isso faça com que o medo vá embora.

Mas nem sempre a luz é a resposta. Muitas vezes ela apenas as torna ainda mais fortes. Questão de ângulo, quem sabe? Ou talvez seja apenas o tipo de sabedoria que nos diz que escolher ficar no escuro por algum tempo nos dá a chance de enfraquecer as sombras.

Depois que se acostumam, os olhos passam a enxergar melhor na escuridão. Todos os nossos sentidos se aguçam. Escutamos, cheiramos e sentimos com maior intensidade. Podemos explorar pensamentos, sonhos, entender pesadelos.

As sombras se enfraquecem, porque, no momento em que escolhemos seu campo de batalha, nos tornamos iguais em força.

Como quando se mergulha em águas profundas, saber o que carregam nossas sombras nos liberta para aceitar que tudo tem o seu lado negro. E que a melhor estratégia de combate é conhecê-lo.

Apaguem as luzes.

2 Notes

Potência feminina. Cacá Bordini, linda. (at Estúdio Lâmina)

Potência feminina. Cacá Bordini, linda. (at Estúdio Lâmina)

2 Notes

14 remédios simples e naturais para ficar mais bonita

Existem pequenos “segredos” de especialistas que ajudam a ficar jovem e saudável, prevenir doenças e melhorar mais rápido de enfermidades quando elas aparecem. Tudo muito simples e natural – qualquer pessoa pode se beneficiar. Coloque em prática e observe os resultados!

Leia mais clicando aqui. :)

9 Notes

Sabe amor? Do u know love? #gentedepelos #doglover #dog #ilovemydog #love #divasquecorrem (at Casa De Pandora)

Sabe amor? Do u know love? #gentedepelos #doglover #dog #ilovemydog #love #divasquecorrem (at Casa De Pandora)

17 Notes

Agora é assim:
amar somente
quem amar a mim.
Monica March

3 Notes

Once. 🎼 🎶 🎶 #music #fun #igerssp #vscocam

Once. 🎼 🎶 🎶 #music #fun #igerssp #vscocam

15 Notes

gente que pára,
virando centelha.
gente que anda,
no ritmo das estrelas.
Mo March

15 Notes

Queria te dar tudo. De valor, tenho somente o coração. Pois aqui está, é teu. Leva sem medo. Que o meu receio é que se perca por aí sem ti.
Monica March

9 Notes

[de carona, o amor]

Mariana entrou devagar na sala de aula lotada. Já fazia três meses que tentava se sentir mais confiante ao enfrentar aquela audiência cheia de rostos universitários quase anônimos. Melhor era seguir o roteiro pré estabelecido, pensou, ajeitando os pesados óculos de grau no nariz. Respirou fundo e se concentrou na obra de Eça de Queiroz. Os Maias. Mas, quando se virou para o quadro negro com o giz na mão, se deparou com letras enormes. “Meu amor é você”, anunciava a mensagem que parecia ter sido escrita sem pressa.

Sem dar importância, passou o apagador na frase que considerou como uma bobagem natural do comportamento inconsequente e até um pouco insolente das épocas de faculdade. Não que tivesse passado por isso há muito tempo, mas já se via muito mais velha do que realmente era. Um sorriso automático dissipou seus pensamentos vagos e a aula continuou sem mais distrações.

Mas qual não foi sua surpresa ao entrar naquela sala nas aulas seguintes, por semanas, e encontrar a mesma mensagem escrita cuidadosamente no quadro? Parecia ser uma paixão como a dos romances que eram tema de seus discursos apaixonados no tablado.

Naquele dia, o céu cheio de nuvens ameaçava tempestade e Mariana acelerou o passo nos corredores depois que a aula terminou. Queria chegar em casa rápido, tomar um banho e cair na cama havia meses que tinha um livro na cabeceira esperando por uma noite tranquila, sem aulas para organizar ou provas para corrigir.

Um raio seguido de um forte trovão a surpreendeu quando atravessava o primeiro quarteirão e anunciou a chuva, que começou a cair sem dar trégua, adiando seus planos de leitura.

Entrou rapidamente em um café com jeito que a lembrava Paris e pediu um cappuccino com chantilly. Ali, parada, olhando as gotas a escorrer nos vidros da porta de entrada, nem percebeu que tinha a companhia de um jovem. Somente quando ele chamou sua atenção dizendo que gostaria muito de pagar seu café e perguntou se poderia continuar sentado ao seu lado, Mariana reparou nos olhos negros e no sorriso aberto que, de tão bonitos, lhe pareceram familiares. Sim, ela acenou com a cabeça, permitindo a ambos esse momento de prazer.

Minutos depois o temporal parou, ele segurou sua mão com firmeza, puxando-a em direção à saída, fazendo um arrepio de eletricidade acordar o corpo exausto de Mariana. Ela não disse nada, apenas seguiu ao lado de Flávio (quando foi que ele tinha dito seu nome? Não conseguia lembrar-se). Passos cada vez mais curtos e acelerados, que pareciam acompanhar as batidas de seu coração.

Na esquina de uma grande avenida, ele a beijou e o tempo pareceu congelar por uma eternidade. Até que se viu deitada sob lençóis de algodão suavemente perfumados e se perguntou se tudo aquilo não seria apenas um sonho.

A resposta veio de manhã, quando os raios de sol, que batiam tímidos na janela, iluminaram o corpo bem desenhado que se estendia virado de costas tão perto que podia sentir o vai e vem de sua respiração. Passou os dedos pela longa coluna em direção ao pescoço e foi então que viu a tatuagem que ia de ombro a ombro. Esticou o braço para pegar seus óculos na pilha de livros que se acumulava ao lado da cama e seus olhos se encheram de lágrimas ao olhar as letras negras desenhadas com o mesmo cuidado que percebeu no quadro negro por uma infinidade de dias: “Mariana, meu amor é você”.